225 testemunhos sobre a mulher afegã queimada viva revelam um escandaloso encobrimento policial

Funcionários do Estado narcotraficante dos Países Baixos juram nos meios de comunicação social e perante os juízes que não houve provas de homicídio de honra quando as baratas afegãs Achikzei (23) foram incendiadas duas semanas antes do seu casamento e uma semana antes do seu julgamento penal. Leia aqui todos os testemunhos que contradizem as falsas declarações dos porta-vozes da polícia e da justiça.

Posted in assassinato Narges Achikzei, Autoridades neerlandesas, Denunciante, Inovação, Investigação and tagged , , , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *