Testemunho 61 de 225 no caso do assassinato Narges Achikzei

Jornalista
Para Utrecht pelo caso afegão queimado vivo. Uma rapariga atrai a outra para o elevador com uma desculpa e depois ateia-lhe fogo. Ambos são afegãos. Então, matar por honra? Não, este parece-me ser um caso típico de ciúmes. Com protagonistas afegãos aleatórios. Mlauriks exatamente, um grande disparate (suposição de morte por honra quando se trata de 'imigrantes')! Malini Faasen (Crime BNNN)

Posted in assassinato Narges Achikzei, Autoridades neerlandesas, Denunciante, Inovação, Investigação and tagged , , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *